Casos Proibitivos de Crase para Concursos: Veja quando NÃO usar!

Tempo de leitura: 5 minutos

Opa, beleza? Aqui é o Guilherme e hoje vamos começar uma série de dicas de português para concursos aqui no Blog do Dicas. Estamos entrando em uma nova fase em que o nosso objetivo não é apenas informar você sobre concursos, mas também passar um conteúdo de alta relevância que faça toda a diferença no dia da sua prova.

Para começar, vamos falar sobre um assunto que cai em TODAS as provas de concurso público, não importa qual cargo, órgão ou banca organizadora. É um assunto obrigatório.

Estou falando da CRASE.

Quando eu ainda estudava para concurso, ficava muito feliz quando encontrava uma questão desse assunto na minha prova, pois sabia que era um ponto certo que eu iria ganhar (eu tinha decorado todos os casos proibitivos de crase).

Depois que você sabe quando NÃO usar, fica muito fácil, em todos os outros casos você usa. Porém, cuidado com os casos facultativos, que veremos em outra oportunidade.

Veja as dicas abaixo que foram escritas por uma professora de português especialista nesse assunto 😉

casos proibitivos de crase
casos proibitivos de crase

Casos Proibitivos de Crase

Em “Ana vai à escola”, perceba que o “à” recebeu um acento. Seu nome é acento grave e todas as vezes que ele aparece sobre o “a”, significa que existe crase. Sua utilização é para evitar que o “a” apareça duas vezes, uma completando o sentido do verbo ir – quem vai, vai a algum lugar – e outra acompanhando a palavra feminina “escola”.

Devemos atentar para o fato de que a crase pode aparecer no “a” inicial de pronomes como aquele, aquela e suas variantes, bem como diante de a qual e suas variantes. Veja os exemplos: “Referi-me àquela aluna.” e “Todos devem obedecer às regras.”

Há casos em que a crase é obrigatória e outros em que é proibida. Há também situações em que ela é facultativa, ou seja, pode ou não ser utilizada. Esse conhecimento é muito importante, pois trata-se de um assunto frequentemente explorado em provas de concursos públicos. Nosso objetivo neste artigo é tratar dos casos de proibição. Por isso, veja agora as principais situações em ela não deve ser usada:

  • Antes de palavras masculinas.

Nunca se esqueça: só se usa crase diante de palavras femininas. Veja a comparação abaixo:

Assisti à peça de teatro.                     Assisti ao filme.

Note que o verbo assistir exige a preposição “a”. A diferença nas duas frases é que, para haver a crase, é preciso que, além da exigência do verbo, haja também o artigo feminino “a” acompanhando uma palavra feminina. Como “filme” é palavra masculina, não cabe crase neste caso.

Clique AQUI e Veja o Melhor Curso para Concurso do Brasil

  • Antes de verbos.

É de suma importância que você consiga reconhecer os verbos. Dessa forma, não terá dúvidas de que antes de verbos a crase é proibida.

      Eu estou apto a retornar ao trabalho.

  • Entre palavras repetidas

crase proibida

Expressões como face a face, cara a cara, uma a uma, entre outras, não podem receber crase no “a” que fica entre as palavras repetidas.

      Foi emocionante o momento em que eles ficaram face a face.

  • Antes de pronomes de tratamento.

Como você sabe, os pronomes de tratamento são formas que utilizamos para nos referir a outras pessoas. Eles podem ser mais ou menos formais, considerando o cargo/posição em que a pessoa com/de quem falamos. Por exemplo, “Vossa Santidade” é um pronome de tratamento usado, em geral, para referir-se ao papa.

Dei a Vossa Excelência notícias sobre a crise enfrentada.

 

    Obs.: Os pronomes “senhora”, “senhoria”, “dona” e “madama” são exceções, ou seja, diante deles pode haver crase.

Dei à senhora notícias sobre a crise enfrentada.

      

  • Antes de artigos indefinidos.

Os artigos indefinidos são aqueles que trazem uma ideia vaga em relação ao substantivo a que se referem. São eles: um, uns, uma, umas. Também diante dos artigos indefinidos, a crase é proibida.

A conversa é referente a uma vaga de emprego.

A conversa é referente à vaga de emprego.

Nos exemplos acima, fica claro que a presença do artigo indefinido, ainda que empregado em sua forma feminina, impede a colocação da crase.

Veja a Assinatura ILIMITADA do Gran Cursos com 50% de Desconto!

  • Antes de palavras no plural.

Diante de palavras no plural, ainda que femininas, não há crase.

Diga não a companhias erradas.

Mas preste atenção ao fato de que, se você optar por concordar com nome no plural, a crase não será proibida.

Diga não às companhias erradas.

  • Antes de pronomes (pessoais, indefinidos, demonstrativos e relativos).

Diante da maior parte dos pronomes, a crase é proibida. Acompanhe alguns exemplos:

            Você deve entregar a ela os documentos

Refiro-me a outra pessoa.

Obedeça a esta regra.

Ela é a mulher a quem entreguei os documentos.

Conclusão

Cursos para Concurso MPU

Agora que você já conhece os casos proibitivos de crase, procure exercitar seu conhecimento sobre o assunto fazendo exercícios da banca organizadora do seu concurso, essa é a melhor maneira de entender como ela vai cobrar esse assunto no dia da prova.

Usar a crase de modo correto requer conhecimentos prévios, ou seja, você precisa dominar outros conceitos, tais como o conhecimento sobre os pronomes e seus tipos. Quanto mais exercícios você fizer, maior é a chance de assimilar as regras.

Lembre-se também de que o emprego adequado da crase não será utilizado apenas para responder às questões objetivas. Pelo contrário, cada vez que você necessitar escrever um texto, vai se deparar com circunstâncias em que será preciso saber usá-la. Siga estudando!

 

Casos Proibitivos de Crase para Concursos: Veja quando NÃO usar!
5 (100%) 2 votes

Recomendados Para Você:

2 Comentários


  1. Obrigado pelo comentário Rogerio, não temos material mas fique de olho nas próximas dicas aqui do blog! Abraços!


  2. BOA NOITE!

    GOSTEI MUITO, DO ESTUDO DA CRASE.

    VOCÊ TEM MATERIAL DA DPE AM?

    DESDE JÁ AGRADEÇO!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *